Resultados Concurso Alphaversos 2018 – Avaliações do 14º, 15º e 16º colocados

Avaliação Completa – Animalia Presença dos Temas: 7,0 Lancaster: Os temas são cinco: Distopia, Disputa de Territórios, Japão Feudal, Sobrevivência e  Traição. E peca justamente em dois deles, Japão Feuda […]

Avaliação Completa – Animalia

Presença dos Temas: 7,0

Lancaster: Os temas são cinco: Distopia, Disputa de Territórios, Japão Feudal, Sobrevivência e  Traição. E peca justamente em dois deles, Japão Feuda e Distopia: no primeiro caso, ele é apenas um entre outras nações igualadas entre si, logo não é um dos esteios do cenário. Quanto à distopia, nada aqui indica que o cenário o seja — não mais do que qualquer universo de fantasia ou ficção médio, com suas dificuldades implícitas. O resto performa corretamente e não há muito o que criticar quanto a eles.

BURP: Escolher cinco temas é arriscado, e dá pra ver que nem todos são exatamente aproveitados. Não vi o elemento de distopia, enquanto traição é meramente citado, e Japão Feudal se limita a um pedaço do cenário (mas isso não é necessariamente um problema).

Oriebir: O problema de declarar cinco temas é que se torna muito difícil aprofundá-los a ponto de que todos possam ser reconhecidos como elementos centrais do cenário. Distopia é praticamente inexistente. Disputa de Territórios é bem abordado, deixando a impressão de guerra iminente entre as nações. Japão Feudal está presente em uma das nações, cuja presença não é tanta a ponto de se destacar como um tema central do cenário. Sobrevivência e Traição existem, mas em um nível esperado dentro de qualquer ambientação que se baseia em conflitos, não a ponto de se qualificar como temas centrais.

Armageddon: É muito tema! Apesar de todos estarem pincelados aqui e ali, faltou dar maior profundidade a esses aspectos, e o cenário acabou girando em torno de tudo sem nunca chegar a nenhum deles.

Uso das Regras: 8,75

Lancaster: Ele foi ao ponto necessário — uma vantagem única para animais. Em um cenário onde não há registro de magia ou grandes tecnologias, isso se revelou o bastante.

BURP: Adições pontuais, que talvez seja mais detalhamento do que o necessário mas também não prejudica o resultado final.

Oriebir: Bem utilizadas. Algumas mecânicas da vantagem única poderiam ser mais simples, mas isso não chega a prejudicar.

Armageddon: Num mundo de bichos, nada melhor que uma Vantagem Única para eles. E, felizmente, uma vantagem simples e customizável em vez de várias com pequenas diferenças mecânicas.

Aspectos Gerais: 8,5

Lancaster: Essencialmente soa como um mundo com muitas características herdadas do nosso porque foi construído sobre os restos do passado e eles estão ainda presentes — mas nesse sentido tem a seu modo um comparativo a certos universos de fantasia que vieram após algum tipo de cataclismo: o que tudo aparenta ter é civilização (e é preciso ter, para que haja nações com essa escala) — as zonas de escombros a serem exploradas estão ali à disposição, um tanto como no espírito de Numenera, só que com nossas tecnologias comuns. O resto soa realista, com a diferença dos animais evoluídos. É um cenário de intrigas, disputas políticas, guerras e combates. Os coadjuvantes são interessantes, mas senti falta do “Para Inspirar”, aqui.

BURP: A ideia principal é legal, mas faltou dar um foco mais claro para o cenário. Algo como estabelecer um relacionamento entre as nações, algum tema principal que guie uma campanha.

Oriebir: É uma ideia bastante original, que dá vontade de jogar, mas como cenário em si falta foco.

Armageddon: Zootopia hardcore, só pode dar certo! Como você mesmo notou durante o desenvolvimento, a variedade animal do planeta é o mais legal dessa ideia. Por isso, o que mais pesou foi tentar enfiar mais temas onde não eram de fato necessários. Como cenário de jogo, ele pode ser desenvolvido muito mais. O Império Antártico é um lugar que sem dúvida eu gostaria de conhecer!

Nota Final: 8,1

Pages: 1 2 3 4

About Edu Guimarães

Mestra RPG desde os 10 anos e nunca mais parou. É nerd, biólogo, Leal e Bom.