Resultados Concurso Alphaversos 2018 – Avaliações do 14º, 15º e 16º colocados

Avaliação Completa – 2046 — Contagem Final para Autômatos Presença dos Temas: 10,0 Lancaster: Os temas são Distopia, Construtos e Sobrevivência. Este conseguiu fazer de todos os elementos cruciais na […]

Avaliação Completa –
2046 Contagem Final para Autômatos

Presença dos Temas: 10,0

Lancaster: Os temas são Distopia, Construtos e Sobrevivência. Este conseguiu fazer de todos os elementos cruciais na construção de seu cenário e a pontuação máxima no item é justa.

BURP: Os três bem utilizados e aproveitados como elementos centrais do cenário.

Oriebir: Distopia, Construtos e Sobrevivência estão presentes e têm destaque no cenário.

Armageddon: Os três temas propostos estão presentes e muito bem trabalhados, sendo peças centrais para o cenário.

Uso das Regras: 7,0

Lancaster: Em alguns pontos, a apresentação das novas vantagens únicas é redundante — seria mais fácil apresentar como a mesma VU, mas com uma modificação pontual aqui e ali. Nada acrescenta muito.

BURP: Possui algumas ideias interessantes, como colocar o tema de sobrevivência em regras de forma simples. Mas acho que se estendeu demais em recriar vantagens únicas que já existem no livro, além de novas desvantagens redundantes.

Oriebir: Achei muito interessante as novas regras e releituras de regras existentes (destaque para a contagem de PVs diferenciada para humanos e regras de recursos com PEs). Embora algumas possam precisar de pequenos ajustes (como Fora da Lei, que seria o mesmo que Má Fama), essas regras contribuem para a proposta inicial do cenário, de funcionar apenas com o Manual Básico, proposta no início do texto. E parabéns por apresentar fichas impecáveis (embora eu tenha sentido falta de antagonistas humanos).

Armageddon: Gostei da forma como as regras foram apresentadas, com a preocupação de tornar o cenário jogável apenas com ele em conjunto com o módulo básico de 3D&T, e como foram trabalhadas para deixar clara a diferença entre as vantagens únicas nesse universo. Também gostei bastante da mecânica de compra de recursos, ainda que tenha sentido falta de uma maior pressão mecânica para que os jogadores gastem esses recursos em jogo. Talvez seja um ponto que mereça ser trabalhado futuramente.

Aspectos Gerais: 7,0

Lancaster: É funcional ao colocar personagens humanos em uma posição de vítimas sem vilanizar todos os autômatos, e esta é uma ideia interessante. No entanto, carece um tanto do desenvolvimento e dos detalhes — e a ausência de coadjuvantes de verdade, com nomes e papéis ativos com os personagens, pesou MUITO contra o trabalho.

BURP: Começa como um cenário promissor, com um texto, se não muito original, bem escrito e explicativo. Mas se perde no meio do caminho e acaba não apresentando muitos detalhes, ocupando muito espaço do texto com revisões de regras que não são estritamente necessárias.

Oriebir: É o tipo de ambientação que particularmente não me anima tanto a jogar, mas é um cenário bem descrito. Os méritos de originalidade ficam mais por conta do destaque à sobrevivência em si do que pelos demais fatores. Talvez este possa ser um aspecto ainda mais explorado futuramente.

Armageddon: Eu gostei muito das ideias que li, além de algumas sacadas bastante interessantes na criação do universo (humanos inconscientes por várias horas em uma jornada de trabalho diária me fez rir e ficar triste ao mesmo tempo). No geral, gostaria que mais do texto tivesse sido empregado no desenvolvimento das corporações. O mesmo para algumas regras que acabaram mesmo se tornando redundantes com o que já está nos livros, deixando outras mecânicas novas pedindo por mais detalhamento.

Nota Final: 8,0

Pages: 1 2 3 4

About Edu Guimarães

Mestra RPG desde os 10 anos e nunca mais parou. É nerd, biólogo, Leal e Bom.