Bestiário TRPG – Portador da Aurora

“Eu, maligno?! Mas era uma PIADA! FOI SÓ UMA PIADA! Não tive intenção de ofender! Desculpe-me, por favor! O que você vai fazer com esse lampião aí?! Não! NÃO!”
–  John Badjocke, ex-bardo e atual paladino.
Os portadores da aurora, apesar de seu nome pomposo, foram o experimento falho de algum deus benigno, seres angelicais criados nos primórdios dos tempos. Eles deveriam ser paradigmas vivos da beleza, campeões do bem e da justiça.
Mas algo deu errado.
Por algum motivo a entidade divina responsável por eles acabou errando a mão em sua fabricação e acabou colocando “bondade” demais em seus corações. O resultado foram criaturas de mentalidade extremista, que levam a defesa de seus princípios sempre a última conseqüência e são incapazes de reconhecer um ponto de vista diferente do seu. Na verdade, são incapazes até mesmo de compreender o que é um “ponto de vista”. A única visão correta do mundo para eles, é a sua própria visão.
Isso fez com que se tornassem justiceiros fanáticos, impiedosos e implacáveis. Foram banidos dos planos superiores por desobedecer ordens de seu criador.
Exilados no plano material, essas entidades degeneraram fisicamente. Seu grande corpo se tornou deformado e coberto por um couro acinzentado e nojento, cheio de pústulas. Cobrem os cotocos minúsculos, do que antes foram majestosas asas, com um robe, que, de longe, os deixa com a aparência de monges mendicantes ou viajantes maltrapilhos. Sempre carregam consigo um artefato menor chamado “A Lanterna dos Santos”, semelhante a um lampião. Ele está impregnado de energia divina residual, e possuí o poder mágico de modificar o comportamento e a personalidade de indivíduos que sejam atingidos pelo objeto.
Portadores da aurora ficam quase sempre aprisionados em lugares ermos, em labirintos ou templos antigos, de difícil acesso. Quando escapam de suas prisões costumam vagar incansavelmente até atingir o centro populacional mais próximo.
Sua maneira de fazer vítimas é sempre a mesma. Primeiro apontam um dedo para uma pessoa, escolhendo-a como alvo. Então uma voz límpida e feminina, vinda dos céus, enumera os crimes reais ou fictícios do indivíduo (“Você bebeu muita água hoje! Um comportamento egoísta. Está consumindo preciosos recursos naturais desse planeta! Prepare-se para conhecer o caminho do bem e da verdade!). O Portador começa a espancar a pessoa com seu lampião, mirando e desferindo pancadas em sua cabeça até que ela sucumba ao efeito de conversão (veja abaixo), ou até que ela morra.
Após terminada a tarefa, a criatura escolhe outro “malfeitor” para punir, o que estiver mais próximo, e recomeça o processo.
Portadores da aurora não param de buscar novas vítimas para tentar converter, até que sejam destruídos.
 


Monstro (ND 5)
Espírito 4 , Grande, LB*
Inciativa + 6
Sentidos: Percepção +12, percepção às cegas 18m*
CA: 16 (+2 nível, -1 des, +6 natural, – 1 tamanho,).
Pontos de Vida: 36
Resistências: Fortitude +9 , Reflexos +3, Vontade +9.
Deslocamento: 9m
Ataques Corpo-a-Corpo: Lanterna dos Santos +5 (1d8+4)
Habilidades: For 14 (+2), Des 8 (-1), Con 20 (+5), Int 9 (-1), Sab 20 (+5), Car 3 (-4).
Perícias e Talentos: Furtividade -5, Intuição +12
Falso apóstolo*: A visão que essas criaturas possuem sobre fazer o bem é tão distorcida por seu fanatismo que acaba criando alterações mágicas na própria realidade! Embora a moralidade de suas ações seja bastante questionável, magias e habilidades que usem tendência irão sempre considerar que um portador da aurora possui como tendência “Leal” e “Bom.”
Justiça cega: No lugar do sentido da visão, portadores da aurora se orientam com uma habilidade similar  (mas não idêntica) a habilidade “detectar o mal” dos paladinos. Mas ao invés de sentir a presença apenas de tendências malignas, eles percebem qualquer tendência que não seja “Leal” e “Bom”.
Em termos práticos de jogo possuem percepção às cegas em um raio de 18 metros. Criaturas de tendência leal e boa são invisíveis para eles, mas ainda podem ser ouvidas e percebidas por outros sentidos normalmente e o Portador irá revidar caso seja atacado por elas.
(Considere o monstro cego – Tormenta RPG, pág. 220 – contra oponentes leais e bons, ou de tendência convertida )
Conversão: Toda vez que um alvo que não seja de tendência “Leal” e Bom” for atingido por uma pancada da Lanterna dos Santos deve rolar um teste de Vontade (CD 14). A cada novo ataque que vítima sofrer a CD para o teste aumenta em 2.
Caso falhe no teste, a tendência do personagem mudará automaticamente para “Leal” e “Bom”, durante a próxima vez que dormir. Um PJ (ou PDM) afetado deve interpretar de acordo com a nova tendência e é INCAPAZ de cometer atos que o mestre julgue que vão contra ela.
Essa no entanto não é uma mudança de tendência real, mas um efeito mágico. O personagem se sente assolado por sensação de culpa avassaladora e uma inquietude constante, ficando compelido a sair em busca de pessoas para ajudar e para realizar “grandes atos de heroísmo”. Devido isso a isso ele não consegue descansar direito e estará sempre fatigado (Tormenta RPG, pág. 229) enquanto estiver sob esse efeito.
A falsa tendência pode ser curada com as magias “Remover Maldição” (Tormenta RPG, pág. 198) ou “Penitência” (Tormenta RPG, pág.191) .
Criaturas que caiam inconscientes com o ataque, ou que sejam atacadas enquanto estejam inconscientes ou dormindo, sofrem a mudança de tendência automaticamente.
Tesouro: Lanterna dos Santos – O artefato perde qualquer poder longe de um portador da aurora, mas ainda poder ser usado como uma arma (idêntico a uma maça obra-prima) ou vendido. – Preço de Mercado: 100 PO)
Não,  o monstro nas imagens não é um “Portador da Aurora”. É o Big Poe do jogo Zelda: The Twilight Princess, para Nintendo Wii. Mas serve de ilustração!  
 

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Rodrigo Quaresma disse:

    Eu tava jogando uma mesa de Reinos de Ferro que metade do grupo tava agindo praticamente como esse bicho aí XD Será que eles foram atacados?!

  2. Luiza disse:

    ADOREI! gosto muito de personagens que mudam essa idéia fixa de bom e mal que os jogadores tendem a ter. sem contar que eu conheço um monte de gente na real mesmo que é assim… vendo no RPG, parece mais insano ainda XD
    vou ver se me inspiro nesse pra fazer umas coisinhas :3

  3. Kurosu disse:

    Ele é inspirado nesses defensores do “politicamente correto”? xD

    • Di Benedetto disse:

      São suas palavras! Suas palavras! Haha.
      Bom, parcialmente. Na verdade, nos defensores EXAGERADOS do politicamente correto. E na atitude (que todas as pessoas tem um pouco, acho) de julgar e condenar o outros com rapidez, e a de querer que pensem exatamente como nós.
      A outra inspiração era fazer um monstro maluco, no estilo daqueles que aparecem na série Doctor Who… XD

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: