Psiônicos para TRPG: Lefou Psiônico

Olá galera, como vão todos? Só pra lembrar que o projeto Psiônicos para Tormenta RPG continua em atividade! No momento, o futuro suplemento NÃO-OFICIAL já tá com 80% do texto pronto. É […]

Olá galera, como vão todos?

Só pra lembrar que o projeto Psiônicos para Tormenta RPG continua em atividade!

No momento, o futuro suplemento NÃO-OFICIAL já tá com 80% do texto pronto. É bastante coisa, mas ainda falta um tantico. Pra ressuscitar o projeto e não deixar vocês desamparados, mais um preview, desta vez de uma das quatro raças que vão estar no suplemento. Sem mais delongas, conheçam o lefou psiônico!

 

Fael

A Tempestade Rubra se espalha, e sua influência torna-se mais e mais presente em Arton. Sua mácula se espalha por todos os povos, causando o nascimento de criaturas assustadoras e instáveis – os meio-demônios da Tormenta lefou. Do mesmo modo, acredita-se que os poderes psiônicos sejam uma expressão dessa influência. Mais uma prova dessa teoria se encontra entre uma variante da raça lefou.

Os fael nascem de maneira similar aos lefou: filhos de mães humanoides de qualquer raça. Porém, seus defeitos raramente são visíveis e perceptíveis. Ao invés disso, eles demonstram maturidade e conhecimentos incompatíveis com suas idades biológicas. Memórias de acontecimentos passados e futuros se misturam na mente dos fael, e como os lefou, eles também costumam ser abandonados – ou escolhem fugir de suas comunidades, odiados por razões que não compreendem.

Essas memórias são parte de uma conexão intrínseca com a Anti-Criação. Essa mesma conexão enche os fael com energias psiônicas, que eles exploram com dedicação, ou mesmo obsessão.

Personalidade. A ausência de individualidade do povo da Tormenta se reflete nos fael de maneira complexa. Ao contrário dos lefou, que costumam buscar companhia e odiar a solidão, os fael tentam encontrar irmandade em todos aqueles que compartilham alguma de suas características. Tentam formar comunidades próprias, reunir outros usuários de poderes psiônicos, ou mesmo se aliar a criaturas de tendências semelhantes à suas. Na ausência destes, eles preferem se isolar e odiar a tudo e todos sem restrições.

Fael são criaturas de emoções exacerbadas. Seus humores são contagiantes, positiva ou negativamente. Um fael genuinamente feliz ilumina a todos com sua mera presença; se estiver triste, o “clima pesado” se torna quase palpável. Mas não são necessariamente inconstantes: em geral permanecem num mesmo humor por longos períodos de tempo.

Outra característica marcante da raça está em suas memórias de tempos passados e futuros. Os fael compartilham essa característica de deslocamento temporal com os lefeu – mas sua herança artoniana faz com que tenham dificuldade em compreender e processar esses conhecimentos. Na prática, os fael não conhecem o passado ou futuro com exatidão, mas são frequentemente assombrados por estes.

Aparência. É difícil identificar um fael apenas por sua aparência. Para todos os propósitos, eles são idênticos à raça de seus pais. Porém, alguns são considerados “feios” para os padrões estéticos da raça em questão. Um fael filho de elfos pode ser obeso, enquanto um descendente de humanos pode ser corcunda. A mácula dos fael normalmente não se manifesta fisicamente, mas pode ser percebida – pressentida – como algo perturbador, impossível de expressar, mas indiscutivelmente aberrante, anormal.

Relações. Fael sentem instintivamente seu afastamento em relação a outras raças. De forma análoga aos humanos, eles conseguem conviver bem com todos aqueles que puderem aceitá-los, mas preferem se aproximar ou se afastar de indivíduos de acordo com outros critérios. Quando são isolacionistas, são igualmente sem preconceitos, sem ódios favoritos…

Membros de outras raças raramente conhecem ou ouviram falar dos fael – mas a sensação de anormalidade que eles emanam não torna a convivência mais fácil. Gregários por natureza, os lefou costumam se sentir confortáveis entre os fael.

Tendência. O comportamento obsessivo da maioria dos fael costuma mantê-los afastados de tendências Neutras. Sua visão de mundo distorcida e experiências de tempos passados e futuros conduzem facilmente a comportamentos extremos – para o bem ou mal, sob a ordem ou caos. A tendência mais comum para os fael é Neutra e Maligna. A gentileza não é uma marca comum às criaturas aberrantes da Tormenta.

Terras dos Fael. Nascidos entre todos os povos, nas proximidades de áreas de Tormenta, ou em lugares e famílias que nunca tiveram contato com a tempestade, os fael não possuem uma terra natal. Mas há rumores de que formam pequenas comunidades de sua própria raça, ou ainda reunindo usuários de poderes psiônicos, como forma de proteção pelos números. Alguns fael corrompidos preferem viver nas proximidades ou mesmo dentro de áreas de Tormenta, por sua resistência aos efeitos da tempestade.

Religião. Assim como os lefou, os fael não possuem uma divindade padroeira: como “filhos” da tempestade rubra, sua existência é divorciada do abraço e proteção de uma raça criadora em Arton. Muito raramente escolhem se dedicar a algum dos deuses do Panteão. Postula-se que esse “vazio espiritual” tenha dado origem aos primeiros devotos, capazes de canalizar energias psiônicas por meio de uma conexão com verdades cósmicas.

Idioma. Todo fael é capaz de compreender instintivamente o hediondo idioma lefeu. Porém, não são capazes de articular palavras nesse idioma. Eles também sabem falar o idioma da raça ou cultura em que nasceram. Muitas vezes são capazes de falar e entender idiomas com os quais nunca tiveram contato direto, por meio de suas percepções temporais distorcidas.

Nomes. Alguns fael usam os nomes dados por seus pais, de acordo com sua raça e cultura. Porém, a maioria adota nomes únicos com sílabas desconexas, em tentativas frustradas de emular o idioma lefeu. Exemplos: Ahk’leht, Hszaat, Kthuu, Mkarrn.

Aventuras. A insatisfação e obsessividade dos lefeu se reflete igualmente nos fael. Eles costumam se dedicar integralmente a carreiras complexas, nunca se desviando de seus objetivos. A maioria deles acaba por seguir a vida de aventureiro, valorizando classes que estimulam o desenvolvimento de seus poderes psiônicos – especialmente devotos, psíons e selvagens, que surgem frequentemente entre eles. Classes que exigem grande dedicação, como magos, monges e samurais, também tem um forte apelo para eles. Poucos dentre eles seguem carreiras que demandam maior desembaraço social, como bardos, paladinos e swashbucklers.

 

Traços Raciais

  • +2 em duas habilidades à escolha do jogador (exceto Carisma). Os fael têm habilidades acima da média, mas sua mácula indefinível causa problemas em suas relações sociais, como seus “primos” lefou.
  • Um fael não é considerado humano ou humanoide, sendo imune a poderes e magias que afetam apenas estas criaturas. Fael são criaturas de tamanho Médio, com deslocamento de 9 metros. Para todos os efeitos relacionados à raça, fael são considerados lefou.
  • Visão no Escuro. Um fael ignora camuflagem (incluindo camuflagem total) por escuridão. Fael enxergam no escuro a até 18m, embora apenas em preto e branco.
  • Talento Psiônico. Fael recebem o talento Dom Selvagem gratuitamente. Eles podem escolher a aptidão (poder de nível 0) que quiserem.
  • +2 em todos os testes de resistência. Fael usam energias psiônicas para proteção contra diversos efeitos, de forma instintiva.
  • Duro de Matar. Fael recebem esse talento sem precisar cumprir seus pré-requisitos, usando proteções psiônicas inatas.
  • Revigoração. Fael podem sustentar seus corpos com pura energia psiônica. Eles podem manifestar sustento psiônico uma vez por dia.
  • Psiônicos Poderosos. Qualquer poder psiônico manifestado por um fael tem classe de dificuldade +2 para resistir.
  • Surto de Memórias. Todos os fael sofrem surtos periódicos em que relembram vividamente fatos que nunca aconteceram, ou que supostamente acontecerão. Role 1d4 em qualquer situação de tensão (principalmente combates, mas outras situações a critério do mestre): em um resultado de 4, o fael sofre uma penalidade de –2 em suas jogadas e testes. Ele também não pode realizar nenhuma ação que dependa de concentração, como manifestar poderes. Um surto de memórias dura 1 minuto, e não pode ser revertido – mas não pode ocorrer mais uma vez numa mesma situação de tensão.

 

Talentos Raciais

Os talentos descritos abaixo só podem ser escolhidos por personagens de determinadas raças. Eles oferecem algumas opções adicionais para membros das raças descritas mais acima.

Alguns talentos raciais apresentados no Manual das Raças podem ser escolhidos por membros das raças psiônicas, se puderem cumprir os outros pré-requisitos de cada talento.

 

ADAPTAÇÃO À TORMENTA

Você é capaz de usar energias psiônicas para resistir aos efeitos da Tormenta.

Pré-requisito: fael ou lefou.

Benefício: você pode gastar 2 PP como uma ação livre para ficar imune aos efeitos nocivos de áreas de Tormenta por 1 hora. Isso inclui efeitos de dano ambiental, níveis negativos, entre outros.

Especial: este talento conta como um talento da Tormenta.

 

PODER ADICIONAL

Você é capaz de seus poderes psiônicos raciais com maior frequência.

Pré-requisito: poder psiônico racial, 5º nível de personagem.

Benefício: escolha um de seus poderes raciais com usos diários. Você pode manifestar este poder duas vezes adicionais por dia.

 

PODER APRIMORADO

Você é capaz de usar aprimoramentos em seus poderes psiônicos raciais.

Pré-requisito: poder psiônico racial, 3º nível de personagem.

Benefício: ao manifestar poderes obtidos por sua raça, você pode usar aprimoramentos que custem +1 PP sem pagar por esse custo. No 9º nível, pode usar aprimoramentos de até +2 PP e no 15º nível, até +3 PP.

Normal: não é possível usar aprimoramentos em poderes raciais.

 

RESILIÊNCIA ABERRANTE

Você é capaz de usar energias psiônicas para ignorar ferimentos graves e golpes mortais.

Pré-requisito: fael ou lefou, 5º nível de personagem.

Benefício: uma vez por combate, se for atingido por um acerto crítico ou ataque furtivo, você pode gastar 2 PP como uma reação para ignorar seus efeitos e sofrer apenas o dano normal.

Especial: este talento conta como um talento da Tormenta.

 

RESISTÊNCIA ABERRANTE

O que você não sente não é capaz de afetá-lo.

Pré-requisito: fael ou lefou, 10º nível de personagem.

Benefício: uma vez por dia, você pode gastar 2 PP como uma reação para obter um sucesso automático em um teste de resistência.

Especial: este talento conta como um talento da Tormenta.

 

REVIGORAÇÃO ABERRANTE

Seu corpo é permanentemente sustentado por suas energias psiônicas.

Pré-requisito: fael ou lefou, 15º nível de personagem.

Benefício: você está sob efeito constante de sustento psiônico, e não sofre penalidades por envelhecimento (mas ainda pode ser envelhecido artificialmente por efeitos mágicos ou psiônicos). Bônus por envelhecimento ainda se aplicam, e você ainda morrerá de velhice quando sua hora chegar.

Especial: este talento conta como um talento da Tormenta.

Sobre Álvaro "Jamil" Freitas

Jamil, o único kender de Arton (druida 11, Neutro), descobriu que tinha um alter ego humano em outro plano de existência, chamado Álvaro Freitas (ranger 3/ladino 4/bardo 5, Neutro e Bom). Eles volta e meia aparecem como convidados especiais em crossovers.