O novo Blue Rose, começa a campanha de financiamento coletivo

Olá pessoas, A Green Ronin iniciou nessa semana o financiamento coletivo do novo Blue Rose. Esse rpg foi lançado pela própria editora como Blue Rose: The Roleplaying Game of Romantic Fantasy em […]

Olá pessoas,

A Green Ronin iniciou nessa semana o financiamento coletivo do novo Blue Rose. Esse rpg foi lançado pela própria editora como Blue Rose: The Roleplaying Game of Romantic Fantasy em 2005, para o sistema True 20 e chegou a ganhar o ENWorld Roleplaying Silver Medal for Best Rules.

Agora o sistema será relançado para o AGE System, o novo queridinho da editora.

Logo do AGE System

 

Enfim, a campanha já foi bem sucedida, arrecadou mais do que a editora queria e algumas metas já fora batidas. Parece que o jogo é bem conhecido lá fora, nunca ouvi ninguém falar dele aqui no Brasil, eu mesmo só vim conhecer um pouco dele a partir de um colega no twitter. Na página do financiamento fala um pouco sobre o sistema, para quem está com preguiça de ir lá segue uma descrição rápida:

In 2005, Green Ronin was looking to do new things with the Open Game License, following on the success of projects like Death in Freeport, Book of the Righteous, and Mutants & Masterminds. One of these things was a different take on the fantasy genre, not the “swords & sorcery” or “epic saga” style of most fantasy roleplaying games (including the then recently revived Dungeons & Dragons) but a game and setting emulating the style of “romantic” fantasy, focused on journeys of self-discovery, finding your place in the world, and protecting a good and worthwhile society?a world of psychic gifts, wondrous mythology, friendship, and cooperation for the good of all. This was the genesis of the world of Aldea and the Blue Rose RPG.

 

Parece bastante promissor. E para quem quiser garantir o seu, segue o link para financiamento coletivo do Blue Rose RPG. Para mais informações clique aqui e aqui.

Sobre Moisés Mota

o Bob Nerd, qual a relação de Bob com Moisés? Não vou dizer, tentem descobrir. Um cara naturalmente chato com a maioria das coisas mas não ao ponto de ser desagradável, pelo menos é o que dizem. Gosta de HQs, livros, RPG, games, e uma boa mistura de rock com música clássica.