Conselhos que gostaria de ter recebido mais cedo

Se tratando de um post na seção de literatura em um fórum de RPG e fantasia* , eu garanto que nós temos alguns autores entre nós, alguns amadores, alguns que […]

Se tratando de um post na seção de literatura em um fórum de RPG e fantasia* , eu garanto que nós temos alguns autores entre nós, alguns amadores, alguns que escrevem por diversão, alguns que fazem fanfics ou contos de RPG e outros que tentam se arriscar com suas próprias criações. Nós até temos alguns profissionais neste site. Por isso eu espero que este texto sirva de ajuda e até inspiração para alguns de vocês, e não apenas um desabafo meu.

Eu por minha vez, desde os 10 anos de idade eu me arrisco em escrever histórias fantásticas e na criação de universos apenas por diversão. – eu não tinha conhecimento sobre RPG nesta época – E eu devo dizer que não foi um percurso fácil. Bloqueios criativos, falta de inspiração, olhar para um texto antigo e perceber que é horrível, olhar para outro e perceber que sem querer você copiou a idéia de outra pessoa, problemas com prosa e palavras esquecidas logo quando você precisava, enfim, tentar escrever é uma estrada cheia de problemas e decepções.

E há aqueles problemas que me afetaram mais. Aqueles que mais dificultaram meu trabalho e que quase me fizeram desistir definitivamente da arte de escrever palavras que por acaso formam uma trama. São problemas que infelizmente eu não vejo serem tão discutidos em blogs e sites de escritores famosos. São problemas que me custaram muito tempo para serem superados, e por isso eu gostaria de dividir alguns conselhos com vocês.

Conselhos que podem evitar tais problemas, conselhos que eu espero que salvem tempo, e que mais importante, me façam me sentir melhor comigo mesmo.

Uma Boa Idéia Não Faz uma Boa História

Eu acredito que todos nós já passamos por este processo. Em um momento de epifania ou após muito tempo pensando, você tem uma idéia. Algo realmente original e que de alguma forma irá inovar o gênero ou pelo menos será algo fora do comum. Você decide utilizar esta idéia em um conto ou até mesmo um livro.

Mas o problema é uma idéia não é uma história. Uma idéia boa não significa uma trama bem desenvolvida com personagens tridimensionais, um conceito revolucionário é apenas isto, um conceito. O pior, uma história ruim com uma idéia boa não só não irá utilizá-la bem, mas também irá desperdiçá-la, fazendo com que o conceito seja desconsiderado em obras futuras baseado em seu péssimo uso em uma única narrativa.

Para poder suportar bem esta nova cria de sua imaginação, você não precisa só de uma história que seja boa por si só, mas que também suporte as características de seu conceito. Sem uma boa narrativa por trás, a melhor reação que você vai conseguir dos leitores é um “Que idéia legal”, antes delas se esquecerem totalmente da obra alguns minutos depois.

Épico Não Significa Melhor

Talvez seja por causa da influência de histórias já estabelecidas e conhecidas do gênero – Senhor dos Anéis, Crônicas de Nárnia, A Roda do Tempo e todos os livros de Harry Potter – que cause este hábito, mas muitos escritores de fantasia amadores, a grande maioria eu diria, sempre tentam escrever o próximo épico, a próxima saga e a próxima série com um número impressionante de páginas e palavras. Quantas vezes eu já ouvi algum amigo comentando que faria uma trilogia de histórias, quando até mesmo completar um único capítulo era difícil para eles. Eu mesmo já cometi este erro em várias ocasiões.

Eu sei como é bom poder fantasiar sobre prateleiras preenchidas inteiramente com obras suas, mas também é importante saber como começar. Você não pode criar uma mansão se você nunca construiu um muro. Começar em obras pequenas é importante, mas se manter pequeno também pode trazer muitas vantagens.

Esqueça as trilogias, tente fazer algo que você saiba que vai conseguir terminar. Faça um conto, não uma série deles, mas uma única história. Na verdade contos não são necessários, escreva uma cena isolada que tenha em mente. Se uma história ou idéia lhe agradar muito, espere até quando você for mais capaz para poder expandi-la.

Mesmo se você for capaz de escrever centenas de páginas, por que fazer algo enorme? Fora da ficção especulativa, muitos livros famosos são encontrados em um único livro e às vezes até possuem poucas páginas. O próprio Edgar Allan Poe dizia que uma boa história deveria ser lida em uma única sentada.

Nada é Verdadeiro, Tudo é Permitido

Antes de me aprofundar mais neste item de minha lista, é importante lembrar que para iniciantes é vital seguir modelos e regras já estabelecidas por pessoas mais experientes. Além de servirem como um guia que pode facilitar a história á ser terminada, é também necessário saber as regras para se poder quebrá-las adequadamente.

Agora a idéia que eu gostaria de apresentar: Não importa quantas regras sobre escrita você aprenda, em algum momento algum escritor irá quebrá-la, e o pior, fará isto de forma que melhore a história sendo contada. Todos nós sabemos que uma história possui um começo um meio e um fim, mas somos surpreendidos quando alguém utiliza estas partes fora de ordem ou até mesmo ignoram alguma delas. Aprendemos a escrever de forma a evitar gírias e em uma linguagem fácil de entender mesmo para aqueles que não vivem em sua região imediata, mas algumas das obras mais famosas da literatura Brasileira utilizam severamente de linguajar único de uma região.

Eu não estou sugerindo que você tenha de tentar fazer isto, eu apenas quero demonstrar a importância de se manter uma mente aberta.

Nunca Deixe Seus Medos Definirem Seu Destino

Sim, é um título pretensioso retirado diretamente de uma música do Awolnation. Mas também é o conselho mais importante deste texto. Para aquele que está começando a escrever, dúvidas e medos são inevitáveis. Você irá se perguntar se o que você escreveu está bom, se todas as outras pessoas irão odiar, se você realmente deveria estar fazendo isto, se você tem capacidade para tal, se seus personagens são realistas e dinâmicos, se você não está inadvertidamente está copiando a trama ou elementos de outro autor etc.

Eu sei baseado em minhas experiências, que além de serem estressantes, as dúvidas também podem impedir que você escreva adequadamente. Quantas pessoas desistiram de escrever uma história baseado em um medo irracional de ela estar ruim, quantas vezes eu deixei para continuar um texto em um dia em que estivesse mais “inspirado”, acreditando que não faria algo agradável (mesmo sem ter um motivo real para esta crença). E o pior, quantas pessoas nunca tentaram escrever em primeiro local devido á falta de confiança em suas próprias habilidades?

É vital que, seja você um iniciante ou talvez até um profissional de várias obras lançadas, seja capaz de abandonar seus medos e apenas escrever o quanto puder. Sim, as pessoas podem não gostar, sua história final talvez seja objetivamente ruim, mas do que isto importa realmente? Você conseguiu escrever, e ainda pode tentar de novo a qualquer momento.

Tenha Uma Pele Dura

Continuando o conselho anterior, é importante saber que você será criticado várias vezes, também é importante saber não deixar as críticas te afetarem profundamente. Mas talvez o mais importante seja saber procurar por elas.

Vou tentar ser breve; Você tem que saber não deixar as críticas do seu trabalho te afetar profundamente, mas você tem de ouvi-las. Não adianta apenas ouvir os comentários de leitores e depois tentar ignora-los quando pegar a caneta e o papel novamente, você tem de saber usar os comentários – aqueles de pessoas confiáveis pelo menos – em seu favor, como forma de incentivo e não de desistência.

Planejar é Importante, Mas Escrever Também É

Eu não tenho certeza de quantas pessoas por aqui também mantêm este hábito, mas eu pelo menos já perdi tempo demais preparando histórias; fazendo resumos delas de várias formas distintas, escrevendo detalhes importantes em papeis, fazendo gráficos com descrições de personagens e seu desenvolvimento através da história e pensando em fontes de pesquisa para deixar alguns detalhes mais realistas.

Normalmente isto seria ótimo, principalmente para uma pessoa tão incapaz de improvisar quanto eu, mas o grande problema é que eu gastava tempo de menos escrevendo de verdade.

É importante saber quando colocar a mão na massa, tentar escrever de verdade para pelo menos se ter uma boa idéia do que se fazer em seguida. As pessoas não querem saber de algo que você não fez ainda, aquele caderno repleto de ilustrações que você fez dos personagens não irá se tornar em um livro completo a qualquer momento.

Certo, alguns escritores mais conhecidos passaram muito tempo, anos em alguns casos, pensando em suas histórias antes de fazê-las de verdade, mas em algum ponto eles se deram ao trabalho de colocar todos aqueles anos de idéias em uma história completa no papel.

Enfim

Lendo meu texto por uma última vez antes de colocá-lo em um post, eu percebo que todos os meus conselhos poderiam ser facilmente substituídos por uma única dica: Escreva. Desista quando quiser e tente de novo quando puder. Se falhar, continue escrevendo, talvez uma idéia ruim se transforme em uma boa.

Teria facilitado muito as coisas para mim.

Texto: Sebastião Fahrenheint Nemo, que conseguiu se manter o texto inteiro sem dizer “yeah”

* Publicado originalmente no Fórum da Jambô.

PS: Não encontrei o autor da foto na qual o camarada ébrio discute filosofia com a estátua de Drumond. Se alguém souber quem é o responsável pelo ataque de oportunidade da original, avisem. 

Sobre Marlon Teske

Marlon “Armageddon” Teske é de Timbó, Santa Catarina, onde vive isolado do resto do mundo traçando planos de conquista enquanto cursa uma faculdade de regente do universo por correspondência.