Qual a origem da Fúria

Logo após publicar seu famoso estudo sobre o modelo de jogar dados, em 1970, o professor Ioseph Hastapopoullos, da Universidade de Cambridge, publicou um artigo na International Roleplaying Society Magazine sobre a origem da Fúria Bárbara/Viking.

Nesse artigo, o professor apresentava os resultados de uma pesquisa realizada com 1500 bárbaros e 670 vikings, na qual tentava levantar a origem dos poderes bárbaros, com os quais podem atacar com mais eficácia, bem como resistir bravamente aos ferimentos durante suas lutas.

Com o estudo, o professor também procurava criar uma forma de anular os perigosos efeitos da fúria para, assim, facilitar a imersão de bárbaros no ambiente civilizado.

Durante meses, o professor observou os hábitos de tribos bárbaras e vikings, participando de seus rituais, e do dia-a-dia das tribos até que, ele mesmo, começou a sentir os efeitos da Fúria em seu corpo e mente.

Sua conclusão é fascinante.

A capacidade de entrar em Fúria, está diretamente ligada à dieta dos bárbaros, rica em carne.

Aparentemente, a falta de outros nutrientes na dieta bárbara causa uma grande constipação e, sem demora, o surgimento de poderosas hemorróidas nos índivíduos dessa sociedade.

O professor sugere que, caso de defronte com um bárbaro ou viking, jogue um destes na boca deles:

Sobre Alexandre

Estagiário do vice presidente júnior do RPGista, Alexandre começou a jogar RPG em 1991, só para poder usar miniaturas e jogar dados esquisitos. Ele é o jogador que faz os ninjas e rangers do grupo. Nunca magos (porque com eles não se brinca).