Quem não tem cão importado, caça com gato de papel

O Pop Dice foi o primeiro a noticiar que a Devir deixará de importar as miniaturas do D&D para o Brasil (se o negócio é ruim, acho que tem que deixar pra lá mesmo).

Logo em seguida, a Daemon lança o comunicado de que, em virtude disso, trará de volta sua linha de “boosterpacks” do RPGQuest (fonte original: Blog 42).

O Frederick Vaz fez uma especulação muito interessante, enquanto discutíamos na lista dos blogueiros de RPG.
Já é amplamente conhecido que a 4ª edição do D&D é fortemente baseado no uso de miniaturas. Assim, talvez, a Daemon já tivesse tomado a decisão de retomar a linha, visando o pessoal que não está disposto a (ou não pode) pagar pelas mini oficiais.

Assim, oportunamente, a Daemon poderia estar apenas se aproveitando do burburinho causado pela notícia da Devir, para gerar um boca a boca maior sobre seus próprios produtos.

Na verdade, sempre achei esses cartões um baita produto que merecia ser mais bem explorado. Principalmente mapas de terrenos e construções.

Imagine poder fazer uma torre ou pequena cidade em papel dobrável! Tudo em 3D, claro.

Meus jogos de RPG começaram com miniaturas assim, e o kit vinha com portas, arcas de tesouro e armadilhas. Legal!

Sobre Alexandre

Estagiário do vice presidente júnior do RPGista, Alexandre começou a jogar RPG em 1991, só para poder usar miniaturas e jogar dados esquisitos. Ele é o jogador que faz os ninjas e rangers do grupo. Nunca magos (porque com eles não se brinca).