Falha crítica do mestre

Respondendo ao meu meme, o Phil escreveu sobre uma falha crítica do mestre, então, para não deixá-lo só, resolvi escrever uma também. Eu não fui o mestre nessa aventura, fui apenas sua vítima.

Uma vez, eu fiz um personagem que tinha a proposta de ser imortal.
Na prática, funcionava assim:

O personagem morria, eu zerava os XP dele, e ele voltava. Simples. E ainda tinha todo um background por trás. Com direito a maldição, inimigo e uma tarefa a ser cumprida em um tempo X (ou o personagem morreria de vez, para sempre). Com a tarefa cumprida, o PC voltaria a ser mortal.

Antes de entrar na aventura, chamei o mestre e contei o que pretendia. Ele respondeu:
“Ah, tudo bem! Na prática é como se você estivesse entrando com um novo personagem.”

Logo na primeira sessão eu resolvi matar o PC, colocando ele em um combate impossível de vencer. Meu objetivo era explicar a situação aos demais personagens, para que eles ajudassem na busca pela cura da maldição.

Logo em seguida ao mestre descrever a morte do PC, eu disse:
“Começo a me levantar.”

Os demais jogadores, surpresos, começaram:
“Como assim?”
“O que está havendo?”
“Como ele pôde?”

Eu expliquei o que fiz, e que o mestre havia concordado.
Logo em seguida, o mestre completa:

“Pensando melhor, acho que não vou deixar você fazer isso não…”

Como é que o cara volta atrás na decisão?!
E você? Acha justo o mestre fazer isso?

Sobre Alexandre

Estagiário do vice presidente júnior do RPGista, Alexandre começou a jogar RPG em 1991, só para poder usar miniaturas e jogar dados esquisitos. Ele é o jogador que faz os ninjas e rangers do grupo. Nunca magos (porque com eles não se brinca).